Desde o seu ingresso na UFCG, o professor Dr. Xisto Souza Júnior tem tido uma preocupação especial em submeter projetos de iniciação científica por acreditar ser esta uma das principais oportunidades de estudantes adquirirem experiências e despontarem para a pesquisa. As pesquisas estão sempre voltadas para os estudos urbanos e dinâmicas regionais desenvolvendo pesquisas de Iniciação Científica. Em 2019 foi submetido e aprovado o primeiro projeto de Iniciação Tecnológica (PIBIT).

2020 - 2021 (PIBIT)

Estevao.jpeg

Obrigado! Mensagem enviada.

Bolsista: ESTEVÃO DA SILVA AIRES

Projeto: O USO DO QR-CODE E REALIDADE AUMENTADA COMO RECURSO TÉCNICO DA CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE-PB

O crescimento populacional associado ao intensivo processo de urbanização tem obrigado os gestores a priorizarem ações voltadas para a promoção da sustentabilidade dos espaços urbanos. Para isso, são definidas políticas de gestão inteligente pautadas no uso racional e sustentável dos espaços, conforme recente orientação da ONU durante em relatório da III Conferência das Nações Unidas sobre Habitação e Desenvolvimento Urbano Sustentável, realizada na cidade de Quito em 2015. Criaram-se, assim, as chamadas cidades inteligentes. Diante desse quadro de referências, Institutos de Pesquisa e de apoio a gestão planejada passaram a atuar em parceria com o Estado para definição de estratégias de desenvolvimento urbano inclusivo, sendo um de maior expressão no mundo o World Resources Institute (WRI) que atua em quase 50 países desenvolvendo programas e ação para promoção do desenvolvimento urbano. No Brasil, o WRI desenvolve ações em 25 municípios tendo como principais temas de abordagem o uso de tecnologias para o desenvolvimento de cidades inteligentes, sustentáveis e inclusivas. De fato, a utilização de tecnologias se caracteriza como uma das mais importantes ferramentas para promoção do desenvolvimento sustentável e consolidação das cidades inteligentes uma vez que possibilitam a interação entre os agentes planejadores e executores da política de urbanização com os próprios moradores. Segundo o Ranking Conected Smart Cities, empresa que desenvolve mapeamento junto com órgãos públicos visando promover inovação e melhorias para as cidades mais inteligentes e conectadas a partir dos princípios da integração, inovação, colaboração, transparência e foco nas pessoas, Campina Grande aparece no 17º, lugar no indicador empreendedorismo (economia criativa, tecnologia, etc.) e em 41º lugar em Tecnologia da Informação. Entre as diferentes atividades econômicas que são capazes de assimilar as variáveis inerentes a esses eixos, o turismo se destaca por possibilitar uma maior interatividade entre os indicadores apresentados. A presente proposta de pesquisa para desenvolvimento tecnológico surge, portanto, dos resultados de pesquisa de iniciação tecnológica desenvolvida entre 2019/2020 através da qual foram elaborados aplicativos que possibilitam criar realidade aumentada dos atrativos turísticos através de leituras de QR-Code. Tem-se como objetivo a elaboração de plataformas virtuais que possibilitem a obtenção de informações turísticas mais integrativas. Se trata de uma pesquisa aplicada cujo resultado estima-se pode auxiliar em uma divulgação mais interativa das informações turísticas do município nas propostas de desenvolvimento urbano e regional tendo como ponto de partida o debate em torno do turismo e sua capacidade de influenciar na dinâmica urbana dos espaços.

http://lattes.cnpq.br/8816733544752300

Estevao.jpeg

Bolsista: ESTEVÃO DA SILVA AIRES

Projeto: O USO DO QR-CODE E REALIDADE AUMENTADA COMO RECURSO TÉCNICO DA CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO NA CIDADE DE CAMPINA GRANDE-PB

UNIVERSIDADE FEDERAL DE CAMPINA GRANDE, RUA APRIGIO VELOSO, 882, BAIRRO CIDADE UNIVERSITÁRIA, BLOCO BH, SALA 5

Elaborado por Xisto Souza Jr (999407075(