Desde o seu ingresso na UFCG, o professor Dr. Xisto Souza Júnior tem tido uma preocupação especial em submeter projetos de iniciação científica por acreditar ser esta uma das principais oportunidades de estudantes adquirirem experiências e despontarem para a pesquisa. As pesquisas estão sempre voltadas para os estudos urbanos e dinâmicas regionais. Para participar dos projetos e se tornar um bolsista de iniciação científica supervisionado pelo professor um dos requisitos prioritários é estar vinculado a pelo menos um semestre no Grupo de Pesquisa GIDs em qualquer linha de pesquisa do grupo. Veja abaixo um pouco do histórico das pesquisas PIBIC e PIVIC desenvolvidas por estudantes sob orientação do professor Xisto Souza Júnior.

2020-2021 (PIBIC)

gustavo.jpeg

Obrigado! Mensagem enviada.

Bolsista: GUSTAVO CAVALCANTE BEZERRA

Projeto: O TURISMO COMO ALTERNATIVA DE PLANEJAMENTO URBANO: A INCLUSÃO DE CAMPINA GRANDE NA REDE DE CIDADES SUSTENTÁVEIS

Planejamento e gestão são termos que fazem parte do discurso das articulações políticas para o desenvolvimento dos espaços urbanos realizado por diferentes segmentos sociais. Destes, a sustentabilidade se evidencia como um tema transversal inserido em diferentes setores da cidade a partir da implementação de ações que valorizem a formação de redes de desenvolvimento. Temas como ?formação de cidades inteligentes? a partir do desenvolvimento tecnológico têm surgido neste cenário uma vez que torna mais objetiva a classificação de eixos e indicadores para serviços municipais e qualidade de vida nas comunidades, sendo estes: economia, educação, energia, meio ambiente e mudanças climáticas, finanças, governança, saúde, habitação, população e condições sociais, recreação, segurança, resíduos sólidos, esporte e cultura, telecomunicação, transportes, agricultura urbana/local e segurança alimentar, Planejamento urbano, águas residuais e água. A preocupação com a formação do sistema urbano se torna fundamental na formação da rede de cidades sustentáveis. Inserido nesse contexto o turismo emerge como alternativa à promoção do desenvolvimento sustentável a partir de inclusões do desenvolvimento tecnológico. Um dos condicionantes que contribuem para a inclusão de uma cidade nas redes de cidades sustentáveis está justamente fundamentado em questões geográficas relacionadas a mobilidade. Tais condições corroboram para se pensar alternativas que possibilitem a inclusão de Campina Grande no contexto das redes de cidades sustentáveis. De fato, Campina Grande possui um espaço turístico estruturado com atrativos geograficamente distribuídos em seu contexto intraurbano e, no contexto regional, exerce uma posição estratégica para o desenvolvimento regional ao potencializar o turismo nos municípios da região de influência. A proposta desta pesquisa está, portanto, inserida na hipótese de que Campina Grande possui potencial para ser incluída nas redes de cidades sustentáveis tendo o turismo como um dos principais instrumentos para viabilizar esta inclusão. Tal fundamento ganha ainda mais força se considerarmos o impacto da Covid-19 ao desenvolvimento dos municípios considerando que o turismo se caracteriza como alternativa econômica com maior possibilidade de recuperação e dinamização espacial, tornando-se, assim, estratégico a política dos espaços urbanos. A proposta de investigação está inserida como atividade do projeto ?uma contribuição geográfica para consolidação do turismo como alternativa de desenvolvimento da região geográfica de Campina Grande (MCTIC/CNPq n.28/2018 (protocolo 429976/2018-6).

http://lattes.cnpq.br/7480162545472092

gustavo.jpeg

2019-2020

Bolsista: GUSTAVO CAVALCANTE BEZERRA

Projeto: UMA CONTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA PARA CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO COMO ALTERNATIVA DE DESENVOLVIMENTO DO MUNICÍPIO DE INGÁ-PB E ÁREA DE INFLUÊNCIA

A presente proposta de pesquisa surge dos resultados obtidos em uma pesquisa anterior desenvolvida com financiamento do CNPq entre os anos de 2013-2016 através da qual identificamos quatro áreas turísticas no Estado da Paraíba sendo uma consolidada-real (João Pessoa), uma em consolidação-potencial (Campina Grande) e duas ainda em processo de estruturação (Patos e Cajazeiras).  Ao término da pesquisa observou-se que a área geográfica polarizada por Campina Grande necessitaria de um estudo mais consolidado voltado para identificação das potencialidades dos municípios que a compõem para que seja possível a definição da primeira Zona Turística do Estado da Paraíba. Submetemos então uma nova proposta (MCTIC/CNPq - 429976/2018) que foi aprovada em 2018 para ser desenvolvida entre os anos de 2019-2021 a qual se propõe a análise da região imediata de Campina Grande com ênfase nos municípios identificados nas pesquisas anteriores (Areia, Alagoa Grande, Fagundes Ingá, Cabaceiras, Boqueirão, Monteiro e Campina Grande) sustentando-se na tese de que o turismo pode se concretizar como alternativa ao desenvolvimento regional por proporcionar o fortalecimento e diversificação da base produtiva, aumentar a competitividade e integrar os territórios proporcionando tanto a participação do poder público nas três instâncias federativas (municipais, estadual e federal) na parceria com o setor privado considerado como estratégico na viabilização das políticas de desenvolvimento territoriais. Para a presente projeto de Iniciação Científica orientaremos o estudante a analisar os atrativos da cidade de Ingá e sua inclusão no contexto do desenvolvimento regional. Os procedimentos metodológicos a serem utilizados consiste de levantamento bibliográfico; levantamento de informações em órgãos oficiais e elaboração de mapeamento dos atrativos. Com o seu desenvolvimento, estima-se, portanto, uma melhoria no orçamento individual das municipalidades envolvidas sendo o retorno estimado pelo aumento da visitação nestes mesmos dinamizando a economia e promovendo desenvolvimento social.

http://lattes.cnpq.br/7480162545472092

Pedro.jpg

2018-2019

Bolsista: PEDRO DE FARIAS LEITE E SILVA

Projeto: FEIRA CENTRAL: UM REMANESCENTE CULTURAL DA IDENTIDADE CAMPINENSE EM RISCO

A representação socioespacial se constitui na percepção dos sujeitos que utilizam o espaço público, quanto a influência da mesma na formação da identidade urbana. Neste caso a feira se compõe como um espaço historicamente de convívio e troca de sociabilidade ao tempo em que se materializam práticas espaciais de ocupação e territorialidade. Desde os tempos medievais que o espaço da feira caracteriza-se por promover as relações espaciais. Partindo deste pressuposto, a “Feira central: um remanescente cultural da identidade campinense em risco” constitui-se como o título desta pesquisa que busca analisar as representações sociais dos sujeitos que realizam as práticas espaciais nesse espaço. Para a realização desta análise, far-se-á uso dos seguintes procedimentos metodológicos: a) pesquisa documental; b) pesquisa bibliográfica; c) sistematização de leituras; d) aplicação de questionário e entrevistas; e) elaboração de mapas mentais; f) trabalhos de campo. Espera-se que esta pesquisa possa fornecer importantes subsídios como função social, tendo em vista nas decisões políticas que ratifiquem a sua importância nos contextos sociais.

Leticia.gif

2017-2018

Bolsista: LETÍCIA BARBOSA BOMFIM

Projeto: AS MULTITERRITORIALIDADES NA PRAÇA DA BANDEIRA E SEUS EFEITOS NA REDEFINIÇÃO DE ESPAÇO PÚBLICO

Desde as primeiras aglomerações espaciais as praças se constituem como um dos objetos mais importantes para se entender à estrutura e as relações entre os diversos segmentos sociais, por possibilitar as coexistências de diferentes segmentos da sociedade cujas intencionalidades se apresentam como expressão das relações cotidianas dos usuários das praças. Localizada no “coração” da cidade, a Praça da Bandeira expressa bem esse jogo dialético. Criada a partir dos movimentos de reforma urbana entre as décadas de 1935 e 1945 (SILVA e BRAGA, 2016), vem sendo instituída como um dos principais espaços públicos da sociedade campinense. Nela as territorialidades presentes neste espaço ocorrem de forma simultânea e complexa. Simultânea porque sobre ela se evidencia ao longo do tempo cronológico uma superposição de práticas espaciais de apropriação através do qual se observam mudanças cotidianas em seu uso e na qual são criadas memórias, imaginários e representações sobre e a cidade. Complexa porque suas redefinições são decorrentes de intencionalidades nem sempre perceptíveis e muitas vezes contraditórias. A pesquisa surge, portanto, com o objetivo de identificar multiterritorialidades e seus rebatimentos na redefinição da praça como espaço público. Em termos de procedimentos a serem adotados optar-se-á pela observação participante através da qual o estudante vivenciará, em momentos distintos, parte do cotidiano dos usuários da praça. Ao término, espera-se obter um mapeamento das multiterritorialidades existentes na praça evidenciando perspectivas para compreensão do significado da mesma como espaço público.

2016-2017

Bolsista: DAVIDSON MATHEUS FELIX PEREIRA

Projeto: A PARTICIPAÇÃO DOS MOVIMENTOS SOCIAIS URBANOS NA REESTRUTURAÇÃO ESPACIAL DAS ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL DE CAMPINA GRANDE: O CASO DAS ZEIS DOS DISTRITOS SANITÁRIOS IV E V

 

A presente proposta de iniciação científica originou-se em outubro de 2015 em reunião com estudantes do Grupo de Pesquisas Integradas em Desenvolvimento Socioterritorial (GIDs). Na ocasião, ao nos debruçarmos sobre a questão urbana em Campina Grande e seus desafios, ocorreram questionamentos sobre a atuação de movimentos sociais urbanos ou ativismos urbanos atuantes na cidade. A análise pautou-se no debate sobre sobre as comunidades pobres transformadas em ZEIS considerando o papel deste Programa nas estratégias de ordenamento e reestruturação urbana. Para isto, utilizamos como referência a divisão das cidades em seis distritos sanitários, conforme classificação adotada pela Secretaria Municipal de Saúdes segundo a classificação da secretaria municipal de saúde, subdividindo a análise em três propostas de IC, sendo um PIBIC e dois PIVICs. Diante do exposto, a pesquisa busca identificar a existência de Movimentos Sociais Urbanos ou ativismo de bairros nas ZEIs existentes nos Distritos Sanitários IV e V e suas estratégias para promoção da qualidade de vida e justiça social. Espera-se, como resultados, identificar como os movimentos sociais atuam em Campina Grande tendo como recorte territorial as ZEIs.

2015-2016

Bolsista:Yuri Araujo de Lima

Projeto: A adoção do “sistema jardineiras” como alternativa a consolidação do espaço turístico de Campina Grande-PB

 

A pesquisa está vinculada a um projeto maior financiado pelo CNPq (Edital Universal 3/2013) e tem como principal objetivo promover o aproveitamento do potencial da cidade de Campina Grande, no que vale a promoção do turismo através da utilização dos museus e cartões postais da cidade através da proposta de implantação do ônibus Jardineira que servirá como um aporte para uma verdadeira rota turística pela cidade. A proposta está fundamentada em parâmetros qualiquantitativos. Como procedimentos iremos recorrer aos dados oficiais sobre as vias de acesso, trânsito e mobilidade da cidade, para que seja comprovada a viabilidade da execução real dessa proposta, dando mais uma opção turística economicamente rentável para cidade, que atualmente, só se concentra nos megaeventos realizados em determinados períodos do ano, a exemplo, O Maior São João do Mundo em Junho, e os Encontros religiosos em Fevereiro

2014-2015

Bolsista: Jordânia Alyne Santos Marques

Projeto: O Conhecimento geográfico na promoção do turismo como alternativa de desenvolvimento para o Estado da Paraíba

 

O presente projeto corresponde a uma das etapas do projeto aprovado pelo edital CNPq-universal 14/2013, processo 472964/2013-5 através do qual buscamos promover a difusão do turismo segundo parâmetros geocientíficos enquanto fundamentos para a difusão do turismo no Estado. A pesquisa está pautada no entendimento de que o desenvolvimento do turismo no Estado da Paraiba, enquanto alternativa para promoção e inclusão do Estado no desenvolvimento regional, ainda se apresenta de forma diferenciada ao supervalorizar os espaços litorâneos atividades específicas como as de ordem religiosa ou de eventos  em detrimento do uso dos ambientes e das heranças historiográficas culturais que caracterizam a região não atingindo, assim, a eficiência necessária ao planejamento regional. A proposta está fundamentada em parâmetros qualiquantitativos. Para esta etapa o estudante-bolsista terá como objetivo principal a obtenção de dados oficiais sobre o potencial turístico nas cidades selecionadas como sedes regionais (João Pessoa e Campina Grande)

2013-2014

Bolsista: Joalysson Oriente da Silva

Projeto: Análise geográfica da influência do bairro de José Pinheiro na descentralização socioespacial de Campina Grande

 

Em continuidade com a mesma linha temática, a proposta de pesquisa para o ano de 2013 foi direcionada à análise de um dos mais importantes bairros de Campina Grande tendo como hipótese inicial o papel deste bairro na descentralização socioespacial da cidade. A grande novidade foi a aprovação de um estudante de outra Unidade Acadêmica (UACS) cujo desempenho foi surpreendente devido ao envolvimento do estudante com o tema e a motivação de adquirir conhecimentos geográficos para poder realizar a pesquisa. A revisão bibliográfica, especialmente relacionada ao aporte teórico, destaca-se como uma das principais qualidades do trabalho. Acesse aqui o resumo do projeto.

2012-2013

Bolsista: Laís Rodrigues de Brito

Projeto: O Processo de desconcentração urbana em Campina Grande e sua influência na reestruturação espacial

 

Em 2012 houve um redirecionamento na proposta de pesquisa decorrente dos eventos de reestruturação espacial observados na cidade. Surgiu, assim, a curiosidade de se analisar os principais eventos responsáveis pelo processo de desconcentração espacial sendo selecionada a estudante Lais Brito. O comprometimento ético e a postura crítica e metódica se destacaram como as principais qualidades dessa jovem pesquisadora. Os resultados da pesqusia apontaram para a evidência de que os eventos de desconcentração segue parâmetros temáticos tendo sido observada uma desconcentração no âmbito da educação superior, comércio, serviços e empreendimentos. Acesse aqui o resumo do projeto.

2011-2012

Bolsista: Sâmara Iris de Lima Santos

Projeto: A influência da violência urbana nas redefinições do uso dos espaços públicos de Campina Grande-PB

 

O compromisso com o desenvolvimento das atividades desenvolvidas no primeiro projeto foi fundamental para a renovação da orientação da estudante Sâmara Santos para o desenvolvimento desse projeto. A proposta teve como ponto de partida os resultados obtidos no primeiro ano do projeto cujo resultado apontou para evidência de que os eventos de violência se espraiam principalmente nos espaços de uso público. Os resultados dessa segunda pesquisa conferiram a estudante o segundo lugar no Congresso de Iniciação Científica da UFCG junto a área de humanidades. A pesquisa serviu também como suporte ao desenvolvimento do TCC da estudante e elaboração do projeto de mestrado junto ao Programa de Pós-graduação em Geografia da UFPB tornando Sâmara a primeira estudante egressa da UFCG a participar de um mestrado na área de formação acadêmica. Acesse aqui o resumo do projeto.

2010-2011

Bolsista: Sâmara Iris de Lima Santos

Projeto: Mapeamento da Violência Urbana em Campina Grande: tendências e desafios

Primeira pesquisa a ser elaborada pelo docente, o projeto de mapeamento se destacou pelos resultados obtidos e pioneirismo no uso do método complexo na identificação dos eventos de violência em Campina Grande. O empenho da estudante associado ao apoio coletivo dos membros do GIDs foram fundamentais para o êxito do projeto e para a conquista do terceiro lugar no prêmio jovem cientista (2011), sendo, em todo o Brasil, o primeiro trabalho desenvolvido por  estudante de Geografia a obter esta premiação. Acesse aqui o resumo do projeto.